Aprendizagem Inspiração Criatividade

quarta-feira, 28 de novembro de 2018

Tema: IoT -  Evento - Resumo do Painel IoT no Clube Naval, RJ

      O evento realizado ontem, 27 de novembro, no Clube Naval - Rio de Janeiro reuniu autoridades, estudiosos e especialistas para discutir aspectos estratégicos, regulatórios, tecnológicos e de fomento em PD&I (Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação) em Internet das Coisas no Brasil.  Foi promovido pelo grupo CTEM (Grupo Ciência, Tecnologia, Engenharia, Matemática) do Departamento Cultural do Clube. A organização e a abertura do evento foi realizada pelo Comandante Joel Medeiros. Cinco palestras, seguidas de debate e demonstração ocorreram no elegante Salão de Conselheiros.
 
      Tive o privilégio de moderar o Painel e de palestrar sobre a importância estratégica da Internet das Coisas e suas aplicações nas áreas de Defesa e de Segurança Pública.

Aspectos estratégicos e aplicações militares

       Na segunda palestra, o Professor Doutor José Afonso Oliveira Júnior da Fundação Getúlio Vargas ressaltou a importância da Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação em IoT, mostrou como os projetos de Internet das Coisas têm atraído os recursos públicos e privados, e apresentou os editais nacionais e internacionais das agências de fomento que apoiaram desenvolvimento nesta área em 2018.


Linhas de fomento para Projetos em IoT.

      O Engenheiro Fabio Alencar da ABRASAT abordou os desafios regulatórios e tributários da Internet das Coisas no Brasil, e fez uma comparação com o papel da FCC (Federal Communications Commission) no desenvolvimento de IoT nos Estados Unidos.
Questões regulatórias e tributárias

      O painelista seguinte, Engenheiro Waldo Russo da Union Engenharia, abriu o amplo leque de opções de tecnologias, padrões e protocolos capazes de prover conectividade em IoT: satelitais e terrestres, em banda licenciada e não licenciada. Um panorama geral comparativo foi feito, abrangendo as Low Power Area Network (LPWAs), as Wireless Neighbohood Area Network (WNANs), as Wireless Local Área Network (WLANs), as Wireless Factory Area Network (WFANs), as Wireless Home Area Network (WFANs), Wireless Personal Area Network (WPANs) e a de Proximidade (NFC - Near Field Comunication). As diferentes opções de conexão por satélite também foram discutidas na apresentação, incluindo as de alto throughput (HTS - high-throughput satellite), as operadoras nas bandas Ka, Ku e V, AIS, ASM e GNSS, as constelações de satélites de baixa órbita (LEO -Low Earth Orbit) e os pequenos satélites para IoT.

Padrões, tecnologias e protocolos de conectividade.

      O Engenheiro Guilherme Cavalcanti da LOKA Systems apresentou um panorama da produção agropecuária no Brasil, os seus desafios e como diferentes possibilidades de aplicações de IoT na agroindústria podem contribuir no enfrentamento destes óbices. Em seguida à sua palestra, foi realizada uma  demonstração prática de aplicação de solução da LOKA Systems com conectividade Sigfox.
Aplicações de IoT na Agroindústria.



Estação Móvel da demonstração feita pela LOKA Systems

      A última palestra coube ao Engenheiro Renato Vianna da Hispamar, que apresentou soluções e aplicações de IoT via satélite com conectividade em Banda Ka HTS, para mobilidade ou backhaul, exemplificando com aplicações para as áreas rural, agricultura e meio ambiente.


                                                        Soluções IoT via satélite.

     Na fase de perguntas e debates, a audiência contribuiu com muitos questionamentos e insights valiosos. Especialistas da Comunidade  Tudo Sobre IoT estiveram presentes, acompanhados da idealizadora Thelma Troise, reconhecida no meio corporativo e de negócios como uma das maiores influencers na área da Internet das Coisas, conforme ressaltado pelo painelista Guilherme Cavalcanti.
 Participação de experts da comunidade TSIOT no evento.

      O encerramento do Painel foi conduzido pelos Comandantes Joel Medeiros e  Mario Neiva, que fizeram os agradecimentos e entregaram os certificados de participação.

Encerramento

       Os vídeos e material do painel serão oportunamente colocados disponíveis no portal de Internet do Departamento Cultural do Clube Naval:
                        https://www.clubenaval.org.br/novo/V%C3%ADdeos-das-Palestras.

      No cenário mundial da #transformação digital, as infraestruturas digitais tornaram-se molas mestras do desenvolvimento científico, econômico e social de um país.  Diante deste contexto, a #Internet das Coisas e a #Indústria 4.0 são pilares  estratégicos básicos para um promissor futuro do Brasil. O evento, além de muito esclarecedor, contribuiu na conscientização desta importância estratégica.

        Boas reflexões!!!

          Prof.Lourival (I\o/T br)



  


(Fotos: IoTbr, TSIOT, HISPAMAR e LOKA)

quinta-feira, 22 de novembro de 2018

Tema: IoT -  Evento - Painel IoT no Clube Naval, RJ

     Será realizado no Clube Naval-  Rio de Janeiro o Painel:  Internet das Coisas - Perspectivas e Desafios no Brasil.
     Uma abordagem ampla contempla questões estratégicas, tecnológicas, regulatórias, tributárias, ambiente de negócios,  conectividade (satélite e terrestre), cases, trials e aplicações.
     "Os desafios a enfrentar e as oportunidades a explorar no Brasil, que contribuam para o desenvolvimento econômico, social, científico e tecnológico do país" é o que se pretende discutir neste Painel, conduzido por experts de renome na área.

     O evento é promovido pelo grupo CETEM (Grupo Ciência, Tecnologia, Engenharia, Matemática) do Departamento Cultural do Clube. Ocorrerá no dia 27 de novembro às 14 horas no Salão dos Conselheiros, situado na  Av. Rio Branco 180, Centro - Rio de janeiro - RJ
     As inscrições são gratuitas e podem ser feitas em :
                      http://decn.org.br/iot/ 

        Bom evento a todos !!!

          Prof.Lourival (I\o/T br)

quarta-feira, 7 de novembro de 2018

Tema: IoT - Observatório -  Evento

"Internet das Coisas: desafios, inovações e perspectivas para seu desenvolvimento no Brasil"

        Nesta terça-feira 6 de novembro de 2018 , realizou-se na Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática da Câmara dos Deputados (Brasília, DF) o  seminário "Internet das Coisas: desafios, inovações e perspectivas para seu desenvolvimento no Brasil".

Fonte: Câmara Notícias                                                                                         

        Foram três os painéis temáticos: (1) “Ambiente de negócios e perspectivas para o Brasil no desenvolvimento da Internet das Coisas”; (2) “Infraestrutura e conectividade para o desenvolvimento da Internet das Coisas”; e (3) “Desenvolvimento tecnológico e inovação em Internet das Coisas”.
        Participaram do evento representantes do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES),   da Agência Nacional de Telecomunicações (ANATEL), do  Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI), do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações (CPqD), da Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom), do Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal (SindiTelebrasil), da Associação Brasileira Industria Elétrica e Eletrônica  (Abinee), da Associação Brasileira da Industria de Semicondutores(ABISEMI) e da Associação de Empresas de Desenvolvimento Tecnológico Nacional e Inovação (P&D Brasil).

        Os debatedores ressaltaram a necessidade de mudanças na tributação do setor, de revisão do marco regulatório e de garantia da privacidade dos usuários, para assegurar a  expansão da IoT no Brasil e garantir a segurança jurídica. Segundo a Brasscom, estão previstos até 2021 investimentos no país da ordem de  R$ 280 bilhões e o estudo do MCTIC e BNDES, concluído em 2017,  estimou que o benefício esperado pode chegar a 200 bilhões de dólares por ano em 2025, nos quatro ambientes prioritários para o amplo uso de IoT no país: agronegócio, indústria, cidades e saúde. Estes expressivos números reforçam a relevância das questões que foram discutidas no seminário.

        Ao final do evento, os deputados  Goulart  (PSD-SP) e  Vitor Lippi (PSDB-SP) propuseram a criação de uma subcomissão permanente sobre o tema.

1) Programação e vídeos das apresentações.
                Disponíveis em: <http://www2.camara.leg.br/atividade-legislativa/comissoes/comissoes-permanentes/cctci/videoArquivo?codSessao=75734>

2) Material multimídia das apresentações.
                 Disponíveis em: <http://www2.camara.leg.br/atividade-legislativa/comissoes/comissoes-permanentes/cctci/Eventos/2018/2018-11-06-seminario-internet-das-coisas/06-11-2018-seminario-internet-das-coisas>
Fonte: Apresentação da ABINEE                                               

3) Para criar no Brasil um quadro regulatório favorável ao desenvolvimento da “internet das coisas”,  a Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática aprovou em julho deste ano o Projeto de Lei 7656/17, do deputado Vitor Lippi (PSDB-SP), que zera o valor de taxas e contribuições incidentes sobre as estações móveis de serviços de telecomunicações que integrem sistemas de comunicação máquina a máquina.
       A proposta tramita em caráter conclusivo e ainda será analisada pelas comissões de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania. Vale a pena ler o texto do projeto de lei, que, sobre aquelas estações:
- dispensa do licenciamento prévio;
- zera a Taxa de Fiscalização de Instalação;
- zera a Taxa de Fiscalização de Funcionamento;
- zera a Contribuição para o Fomento da Radiodifusão Pública; e
- zera  a Contribuição para o Desenvolvimento da Indústria Cinematográfica.

        A íntegra da proposta do PL-7656/2017 está disponível em: <http://www.camara.gov.br/internet/sileg/Prop_Detalhe.asp?id=2137811>.

        Bom seminário e boa leitura !!!

          Prof.Lourival (I\o/T br)

terça-feira, 19 de junho de 2018

Tema: IoT - Observatório -  Evento

BNDES: Pilotos de IoT

     Mais um importante movimento da Internet das Coisas no Brasil ocorreu nesta segunda-feira 18 de junho de 2018: foi realizada a apresentação dos detalhes do "BNDES Pilotos de IoT". Trata-se de um desdobramento do estudo “Internet das Coisas: um plano de ação para o Brasil", apoiado pelo BNDES em parceria com Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC). O objetivo agora é selecionar projetos-piloto de testes de soluções tecnológicas de Internet das Coisas (IoT) que serão apoiados com recursos não reembolsáveis nos três ambientes priorizados: Cidades, Saúde e Rural.

Abertura
   O evento reuniu, com o auditório do BNDES no Rio de Janeiro cheio durante todo o dia, autoridades de IoT no Brasil, representantes do Executivo (MCTIC), Legislativo, BNDES, empresas privadas com atuação em IoT e instituições científicas e tecnológicas  (ICTs). 
Deputado Federal Vitor Lippi, presidente da
 Frente Parlamentar Mista em Apoio às Cidades Inteligentes e Humanas
     Acompanhando atentamente as apresentações, estava também presente Jon “Maddog” Hall, diretor executivo da Linux International, uma organização mundial sem fins lucrativos, que busca disseminar e promover o Linux e outros sistemas de código livre.
Contextualização, detalhamento e esclarecimentos
     O encontro serviu para esclarecer os critérios de escolhas para projetos pilotos de IoT, detalhar o  regulamento do processo de seleção e colocar em contato todos os atores envolvidos, visando criar conexões que favoreçam o estabelecimento de consórcios, potenciais candidatos à concessão  dos recursos financeiros não reembolsáveis do "BNDES Pilotos de IoT". A participação do Banco poderá chegar a 50% dos itens financiáveis. O valor mínimo do apoio a cada plano de projetos-piloto será de R$ 1 milhão.

Paticipação e sinergia       
     
     A execução dos projetos-piloto deverá incluir duas iniciativas principais: integração de tecnologias e avaliação técnica do impacto. Cada projeto-piloto abrangerá um ou mais casos de uso que serão testados em plataformas de experimentação (test beds) ou diretamente em ambientes reais de uso.
Apresentação das ICTs
     Esforços e recursos desta natureza são fundamentais para a "pavimentação" de uma infraestrutura tecnológica, que permitirá o desenvolvimento econômico e social de nosso país nos próximos anos.
_______________________________________

1) Para mais detalhes e informações, navegar pelas páginas e documentos disponíveis no site do BNDES.
   
          BNDES Pilotos IoT - Internet das Coisas
          Disponível em: <https://www.bndes.gov.br/wps/portal/site/home/onde-atuamos/inovacao/iot/bndes-projetos-piloto-internet-das-coisas>
Fonte: BNDES
2) Para uma visão geral do estudo, rever a postagem de 1 de julho de 2017.

              Estudo Internet das Coisas

     Boa navegação!

             Prof. Lourival Moreira (I\o/Tbr)

quinta-feira, 14 de junho de 2018

Tema: IoT - Aplicações -  Cidades Inteligentes - Básico

Cidades inteligentes

     Com o aumento exponencial do ritmo de urbanização, o crescimento populacional, as mudanças climáticas e os fluxos migratórios,  dentre outros fatores, as cidades estão enfrentando desafios sem precedentes.Há uma pressão para que se tornem  cada vez mais  “inteligentes".

     As necessidades e demandas das cidades diferem muito, mas estão apoiadas em três pilares básicos: sustentabilidade social, econômica e ambiental. Refletir sobre o conceito de smart city não é modismo ou questão meramente tecnológica. Além de incluir tecnologias digitais na infraestrutura urbana, a cidade inteligente (smart city) possibilita a melhoria na qualidade e no modo de vida das pessoas (QoL - Quality of Life), com melhores serviços públicos, maior eficiência cotidiana, maior participação cidadã, melhor mobilidade e melhores condições ambientais. Por isso, nosso objetivo hoje é formar uma base de conceitos sobre o tema, tão relevante na construção de um futuro melhor habitável.

1) Comecemos selecionando um free ebook "de cabeceira". Vale a pena "folhear". É uma publicação de 62 páginas elaborada em 2014 pela IEC (International Electrotechnical Commission), que dá uma visão geral de demandas, planejamento, valores, modelos e princípios envolvidos, além de trazer definições de conceitos básicos, exemplos e casos.

      Título: Orchestrating infrastructure for sustainable Smart Cities
      Autor: IEC               
      Disponível em: <http://www.iec.ch/whitepaper/pdf/iecWP-smartcities-LR-en.pdf>

Fonte: IEC 

2) Para um aprofundamento do uso da Internet das Coisas (IoT) nas cidades brasileiras, sugiro a leitura dos relatórios 7A e 13 do Estudo “Internet das Coisas" apoiado pelo BNDES, em parceria com o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC). Este estudo foi realizado em 2017  para o diagnóstico e a proposição de plano de ação estratégico para o país em Internet das Coisas (Internet-of-Things - IoT).

      Título: 7A - Relatório de aprofundamento das verticais - Cidades  (PDF - 4,3 MB)
      Autor: BNDES
      Disponível em: <https://www.bndes.gov.br/wps/wcm/connect/site/776017fa-7c4a-43db-908f-c054639f1b88/relatorio-aprofundamento+das+verticais-cidades-produto-7A.pdf?MOD=AJPERES&CVID=m3rPg5Q>

Fonte: BNDES 

      Título: 13 - Cartilha das Cidades  (PDF - 13 MB)
       Autor: BNDES
      Disponível em: <https://www.bndes.gov.br/wps/wcm/connect/site/db27849e-dd37-4fbd-9046-6fda14b53ad0/produto-13-cartilha-das-cidades-publicada.pdf?MOD=AJPERES&CVID=m7tz8bf>

Fonte: BNDES

3) Fechando, um artigo da revista EXAME de julho/2017, onde são apresentados três casos de smart cities.

      Título: Conheça 3 cidades inteligentes pelo mundo
      Autor: Estúdio ABC
      Disponível em: <https://exame.abril.com.br/tecnologia/conheca-3-cidades-inteligentes-pelo-mundo/>     

Boa leitura !!!

          Prof.Lourival (I\o/T br)

terça-feira, 12 de junho de 2018

Tema: IoT - Aplicações -  Cidades Inteligentes - Testes - INMETRO - ABDI

Ambiente de demonstração de tecnologias para cidades inteligentes

   A Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e o Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (INMETRO) estabeleceram um acordo de cooperação para implantação  do “Ambiente de Demonstração de Tecnologias para Cidades Inteligentes".  O acordo é fruto da visão estratégica que considera as tecnologias para cidades inteligentes fundamentais para o desenvolvimento da indústria de Tecnologia da Informação e Comunicações (TIC) no Brasil.

   O propósito do projeto "Ambiente Demonstrativo"  é "fortalecer as empresas nacionais, aumentando sua competitividade por meio da adoção de mecanismos destinados à melhoria da qualidade de produtos e serviços,  potencializando a implantação de Cidades Inteligentes e Humanas no Brasil".

  Será possível a realização de testes e demonstrações práticas em tempo real in loco, com simulação de fenômenos urbanos e aplicação de soluções inteligentes, em uma mini cidade no campus do Inmetro em Xerém, situado em uma reserva ambiental de 2,3 milhões m² no Rio de Janeiro. 

   O ambiente vivo, real e agnóstico, como campo físico de testes,  possibilitará a avaliação de soluções integradas aplicadas em cenários físicos e virtuais: hardware e software. Já são mais de 100 (cem) empresas cadastradas para a realização de 33 tipos de testes para aferição de eficiência, interoperabilidade e cibersegurança. É o maior campo de testes e avaliações de soluções para smart cities da América Latina.

     Os resultados subsidiarão a definição de programas de conformidade para tecnologias voltadas para cidades inteligentes, além de propostas de medidas para estímulo do mercado e o desenvolvimento das indústrias.

1) Entenda as fases e o escopo do projeto, como campo de testes para as empresas e como vitrine para os gestores públicos, assistindo aos vídeos.

        Título: Spin - INMETRO/ABDI 
        Duração: 3min:05s    Idioma: Português
        Disponível em: <https://youtu.be/Jr57WDqPbso>

 Spin - INMETRO/ABDI
Fonte: ABDI/Inmetro

       Título: ABDI e Inmetro estão tornando as cidades brasileiras mais inteligentes
        Duração: 3min:21s    Idioma: Português
        Disponível em: <https://youtu.be/gjVHEEGVaBI>

 Fonte: ABDI/Inmetro

2) Navegar pelas páginas do projeto para obter familiarização e visão geral.

          Título: Entre no universo das cidades do futuro
          Disponível em: <http://cidadesinteligentes.abdi.com.br/>

3) Ler a caracterização dos onze cenários previstos no projeto, a saber: (1)  a infraestrutura de Telecomunicações e o CICC; (2)  a iluminação pública inteligente- postes inteligentes; (3) controle do ambiente de mobilidade pública; (4) controle do trânsito, transporte e veículos; (5) controle do ambiente natural e de desastres; (6)  controle do saneamento básico – abastecimento de água, esgotamento sanitário, resíduos sólidos e drenagem de águas pluviais ; (7) gestão informatizada e inteligente da segurança pública; (8) município gerador de energia; (9) construções e edificações inteligentes; (10) saúde, Educação e qualidade de vida; e   (11) administração pública informatizada.

          Título: Cenários do Projeto “Ambiente de Demonstração de Tecnologias para Cidades Inteligentes"
          Disponível em: <http://cidadesinteligentes.abdi.com.br/downloads/cenarios.pdf>

        Bom vídeo, boa navegação e boa leitura !!!

          Prof.Lourival (I\o/T br)

segunda-feira, 4 de junho de 2018

Tema: IoT - Aplicações - Área Militar - Combate colaborativo

Collaborative Combat

     The concept of collaborative combat  takes advantage of four major advances in the digital transformation context : Internet of Things, Big Data, Cyber Protection and Artificial Intelligence.

Source: Thales

    1) To understand tomorrow’s digitalised battlefield with advanced technologies (“vetronics”,  software radio, augmented reality, sensors, Cloud, AI algorithms...) read this short article published by Thales for the Eurosatory exhibition in Paris, 11-15th June 2018.

           by Thales, 29.05.2018

     For more related materials (articles and videos), see:
           <https://www.thalesgroup.com/en/thales-eurosatory-2018>

Source: Thales

    2) Drones can also collaborate under human supervision. I suggest you take a look at the CODE’s prototype, that "allows a single person to visualize, supervise and command a team of unmanned systems in an intuitive manner. Mission commanders can know their team’s status and tactical situation, see pre-planned and alternative courses of action, and alter the UASs’ (Unmanned Air/Aircraft Systems) activities in real time".

           By Tamir Eshel (Defense Update) - Jun 5, 2016
           Available on <http://defense-update.com/20160605_code.html>

Source: DARPA
*UAV - Unmanned Aerial Vehicle
                                                         
        I hope you find it interesting!

             Prof.Lourival (I\o/Tbr)